quinta-feira, 24 de março de 2011

CARTA ABERTA AO BRADESCO

CARTA ABERTA AO BRADESCO
Recebi o que se segue por e-mail, e achei tão bom que resolvi postar. Esta carta foi enviada ao Banco Bradesco, porém devido à criatividade com que foi redigida, deveria ser direcionada a todas as instituições financeiras. Tenho que prestar reverência ao brasileiro(a) que, apesar de ser altamente explorado(a), ainda consegue manter o bom humor.
Poderia ser dirigida a qualquer banco brasileiro. . .

Senhores Diretores do Bradesco,

Gostaria de saber se os senhores aceitariam pagar uma taxa, uma pequena taxa mensal, pela existência da padaria na esquina de sua rua, ou pela existência do posto de gasolina ou da farmácia ou da feira, ou de qualquer outro desses serviços indispensáveis ao nosso dia-a-dia.

Funcionaria assim: todo mês os senhores, e todos os usuários, pagariam uma pequena taxa para a manutenção dos serviços (padaria, feira, mecânico, costureira, farmácia etc).. Uma taxa que não garantiria nenhum direito extraordinário ao pagante.

Existente apenas para enriquecer os proprietários sob a alegação de que serviria para manter um serviço de alta qualidade.

Por qualquer produto adquirido (um pãozinho, um remédio, uns litros de combustível etc) o usuário pagaria os preços de mercado ou, dependendo do produto, até um pouquinho acima. Que tal?

Pois, ontem saí de seu Banco com a certeza que os senhores concordariam com tais taxas. Por uma questão de equidade e de honestidade.

Minha certeza deriva de um raciocínio simples. Vamos imaginar a seguinte cena: eu vou à padaria para comprar um pãozinho. O padeiro me atende muito gentilmente. Vende o pãozinho. Cobra o embrulhar do pão, assim como, todo e qualquer serviço..

Além disso, me impõe taxas. Uma 'taxa de acesso ao pãozinho', outra 'taxa por guardar pão quentinho' e ainda uma 'taxa de abertura da padaria'. Tudo com muita cordialidade e muito profissionalismo, claro.

Fazendo uma comparação que talvez os padeiros não concordem, foi o que ocorreu comigo em seu Banco.

Financiei um carro. Ou seja, comprei um produto de seu negócio. Os senhores me cobraram preços de mercado. Assim como o padeiro me cobra o preço de mercado pelo pãozinho.

Entretanto, diferentemente do padeiro, os senhores não se satisfazem me cobrando apenas pelo produto que adquiri.

Para ter acesso ao produto de seu negócio, os senhores me cobraram uma 'taxa de abertura de crédito' - equivalente àquela hipotética 'taxa de acesso ao pãozinho', que os senhores certamente achariam um absurdo e se negariam a pagar.

Não satisfeitos, para ter acesso ao pãozinho, digo, ao financiamento, fui obrigado a abrir uma conta corrente em seu Banco.

Para que isso fosse possível, os senhores me cobraram uma 'taxa de abertura de conta'.

Como só é possível fazer negócios com os senhores depois de abrir uma conta, essa 'taxa de abertura de conta' se assemelharia a uma 'taxa de abertura da padaria', pois, só é possível fazer negócios com o padeiro depois de abrir a padaria.

Antigamente, os empréstimos bancários eram popularmente conhecidos como papagaios'. para liberar o 'papagaio', alguns Gerentes inescrupulosos cobravam um 'por fora', que era devidamente embolsado.

Fiquei com a impressão que o Banco resolveu se antecipar aos
gerentes inescrupulosos.

Agora ao invés de um 'por fora' temos muitos 'por dentro'.
- Tirei um extrato de minha conta - um único extrato no mês - os senhores me cobraram uma taxa de R$ 5,00.
- Olhando o extrato, descobri uma outra taxa de R$ 7,90 'para a manutenção da conta' semelhante àquela 'taxa pela existência da padaria na esquina da rua'.
- A surpresa não acabou: descobri outra taxa de R$ 22,00 a cada trimestre - uma taxa para manter um limite especial que não me dá nenhum direito. Se eu utilizar o limite especial vou pagar os juros (preços) mais altos do mundo.
- Semelhante àquela 'taxa por guardar o pão quentinho'.
- Mas, os senhores são insaciáveis. A gentil funcionária que me atendeu, me entregou um caderninho onde sou informado que me cobrarão taxas por toda e qualquer movimentação que eu fizer.

Cordialmente, retribuindo tanta gentileza, gostaria de alertar que os senhores esqueceram de me cobrar o ar que respirei enquanto estive nas instalações de seu Banco.

Por favor, me esclareçam uma dúvida: até agora não sei se comprei um financiamento ou se vendi a alma?

Depois que eu pagar as taxas correspondentes, talvez os senhores me respondam informando, muito cordial e profissionalmente, que um serviço bancário é muito diferente de uma padaria. Que sua responsabilidade é muito grande, que existem inúmeras exigências governamentais, que os riscos do negócio são muito elevados etc e tal. E, ademais, tudo o que estão cobrando está devidamente coberto por lei, regulamentado e autorizado pelo Banco Central.

Sei disso. Como sei, também, que existem seguros e garantias legais que protegem seu negócio de todo e qualquer risco.

Presumo que os riscos de uma padaria, que não conta com o poder de influência dos senhores, talvez sejam muito mais elevados..

Sei que são legais. Mas, também sei que são imorais. Por mais que estejam garantidas em lei, voces concordam o quanto são abusivas.!?!

ENTÃO ENVIEM A QUANTOS CONTATOS PUDEREM.
VAMOS VER SE MEXE COM A CABEÇA DE QUEM FEZ ESSAS LEIS PARA PENSAREM O QUANTO ESTÃO ERRADOS!!!

Já fiz minha parte enviando para você.

Leonardo César Bonfim

OAB/MT nº 10.630

Cel: (65) 9281-7841/8154-8150

sexta-feira, 18 de março de 2011

Viral - Rebecca Black

Viral - Rebecca Black

Rebecca Black (cujo nome eu achei parecidíssimo com Roberta Flack), é uma cantora de 13 anos que acaba de  lançar seu primeiro clipe, e, em menos de uma semana, já é um sucesso estrondoso no youtube e no iTunes. Mas pelo visto não da maneira que esperava. A garotinha anda chorando pelos cantos por ter ganho o título de "pior música e videoclipe do mundo" entre o grande público, chegando a dizer que se sente vítima de cyberbullying, devido às várias paródias feitas por usuários do youtube, cheias de bom humor em cima da letra, que mais parece uma literal version (espécie de paródia de um videoclipe na qual, em vez da letra original, é cantado exatamente o que está se passando na cena). Ao que tudo indica, a garota não conhece a máxima "Falem bem ou falem mal, mas falem de mim", caso contrário estaria comemorando os mais de 16 milhões de visualizações que o vídeo obteve, bem como o top 100 entre as canções mais vendidas no iTunes. Confira a seguir o vídeo original e algumas versões hilárias do mesmo, feitas pelos "cyberbullies" de Rebecca.


Esta é um simples cover, tocado no violão. Repare como o rapaz não consegue conter os risos enquanto canta:


Também há versões usando outros dias da semana, como saturday ou sunday:

(chegam a insinuar que o rapper que dirige o carro é um predador sexual, olha que maldade)



Monday (Segunda-Feira):


Tuesday (Terça-Feira):


Wednesday (Quarta-Feira):


Thursday (Quinta-Feira):


Friday, versão Bob Dylan:


Há várias outras versões, igualmente bizarras e hilárias, basta procurar. Agora me digam, mais alguém reparou na referência à famosa e já consagrada canção Friday, I'm in love, do The Cure, no começo do clipe original?

Special thanks: Katty Sato (@izumikonata), que me ajudou a "colecionar" os dias da semana ^^

quinta-feira, 17 de março de 2011

Exit the Matrix - A verdade está lá fora

Exit the Matrix - A verdade está lá fora



Vocês que acompanham o blog devem ter percebido algumas mudanças, como a retirada do nick Dan-Mager, a ausência da figura felina com chifres que era sua (e minha, do autor) marca registrada, bem como a exclusão de boa parte das postagens. Primeiro, gostaria de dizer que não foi somente com o blog que ocorreram mudanças, muita coisa mudou em mim, o autor do mesmo nos últimos dias, muitas coisas estão acontecendo e eu simplesmente não pretendo continuar vivendo, agindo e pensando da mesma forma que tenho feito até hoje. Isso seria o mesmo que negar os últimos acontecimentos, ou pior, seria dizer que estou ciente dos mesmos mas compactuo com eles.

Eu sempre soube que havia algo de estranho, algo que não se encaixava perfeitamente neste mundo, e na história como a conhecemos. É como se eu houvesse tomado a pílula vermelha do filme Matrix. A questão é se vou transformar abertamente o blog numa ferramenta para comunicar a vocês as mudanças que estão prestes a ocorrer com o mundo no qual vivemos. Não que me falte coragem para tal, mas sempre fui uma pessoa com pouca paciência quanto a opiniões contrárias a minha, logo não sei se sou indicado para a tarefa. Ainda é tudo muito recente, e tenho medo de me tornar um mal exemplo, obtendo resultados contrários aos quais espero obter, com toda a impulsividade e "falar na cara" que sempre me foram característicos.

Talvez com o tempo eu consiga desenvolver a virtude de esclarecer sem ofender ou parecer arrogante, aí sim a utilizarei de bom grado e com confiança, bem como a este blog, para os fins pelos quais acho que valha a pena se expor os pensamentos que vêm mudando o modo pelo qual vejo o mundo e a sociedade que nos cerca. Mas até lá, ele continuará com o despretensioso objetivo de falar sobre coisas do dia a dia no mundo digital e mostrar a vocês os meios que utilizo para obter uma renda extra na internet.

Meu único conselho a vocês, por enquanto, é que fiquem atentos ao que acontece à volta de vocês. Nem tudo o que parece é o que é. Se alguma vez vocês chegaram a desconfiar que a mídia e o governo não dizem a vocês tudo o que deveriam saber, sigam seus instintos e corram atrás. Desconfiem. Leiam sempre as entrelinhas da informação "oficial" que chega até vocês. E busquem outras fontes de informação. A internet está aí para isso. Um grande abraço a todos, e fiquem com Deus.

Com os melhores cumprimentos do autor do blog,

Daniel Moret Maraccini.

sexta-feira, 11 de março de 2011

Vlogger Fail / Beleza Nerd - Parte II

Vlogger Fail / Beleza Nerd - Parte II




E finalmente estou de volta ao meu habitat natural, o teclado. Aqui me sinto bem mais à vontade, pois posso pesar cada palavra antes de digitar, além de poder voltar atrás no que digo com toda a facilidade do mundo, quantas vezes julgar necessário. Também tenho menos pressão pra lembrar de alguns detalhes interessantes que não foram citados no vídeo, como por exemplo que o meu celular que estava sem o cabo é um "autêntico" BleckBarry (assim mesmo, com o "e" e o "a" trocados), concorrente fortíssimo do famoso BlackBerry, devido ao seu baixo custo ;D
Acho bom eu começar a maneirar nos vídeos, senão daqui a pouco, de tanto eu alegar que não sou vlogueiro e ainda assim insistir em gravar e postar vídeos, vão começar a pensar que o motivo de eu insistir em afirmar que não sou vlogueiro, mesmo gravando vídeos para cada postagem que faço é eu ser, SIM, um vlogueiro, e não querer admitir pra não passar vergonha por ser um péssimo vlogueiro...
Quero encerrar com algumas reflexões que tive no caminho da casa da minha onee-chan Luciana até a minha casa, incluindo a passagem rápida no barbeiro (sim, rápida porque sempre passo máquina zero):

A primeira reflexão que tive é a respeito de Power Rangers, essas "adaptações" vagabundas que os americanos fazem dos Super Sentai originais e empurram para as crianças ocidentais (e alguns adultos desinformados também, que acham MESMO que os EUA se dariam ao trabalho de produzir uma série dessas do zero...) Sério, tenho raiva e não escondo de ninguém que acho Power Rangers uma prova de que os EUA invejam, e muito, o Japão. Mas enfim, a coisa mais engraçada a se pensar em Power Rangers é o fato de a produtora da série, Saban Entertainment, pega os monstros enormes que nas séries originais destróem prédios no Japão, e os coloca para destruir prédios nos Estados Unidos. Já pararam pra pensar nisso?
Outra coisa, que irá literalmente arrepiar os cabelos de vocês, e fará com que vocês nunca mais vejam um barbeiro ou cabeleireiro com os mesmos olhos: Já pararam pra pensar em quantas vezes vocês tiveram as vidas de vocês nas mãos de um barbeiro ou cabeleireiro? Quero dizer, aquela hora na qual as mãos dele, armadas com uma navalha, se aproximam perigosamente da jugular de vocês... Pensem nisso da próxima vez que precisarem dos serviços de um desses profissionais. Mas pensem MESMO... ;D

Ah, sim, já ia me esquecendo! Eu havia prometido postar um vídeo ou uma foto minha depois de cortar o cabelo e tirar o bigode, né? Bom, primeiro que tirar só o bigode não rolou, aquela barba com máquina zero no cabelo simplesmente não ficou legal. Segundo que não vou fazer outro vídeo, então aqui vai a foto que prometi. Espero que gostem.


sábado, 5 de março de 2011

Preguiça de postar? Grava um vídeo!

Preguiça de postar? Grava um vídeo!

O título diz tudo. Postagem feita no final da manhã/começo de tarde do sábado de carnaval, consistindo de dois vídeos meus fazendo graça e um terceiro de terceiros(!) Assista apenas se não tiver nada melhor para fazer e se o feriado já estiver ruim o bastante. Agradecimentos a PC Siqueira, que me ensinou que pra gravar vídeos insanos e postar no youtube não precisa ser bonito, basta ter coragem. Se tiver algo a dizer, tanto melhor. Não que seja esse o meu caso nas gravações abaixo. Enfim, aguardo pedradas e comentários esculachantes, afinal quem está na chuva é pra se molhar (comentário infeliz de se fazer em uma tarde fria e chuvosa =/)

Segunda parte do vídeo, pouco mais de uma hora depois. Participação especial de minha querida mãe, "zen" como sempre ^_^

E finalmente a música da qual eu falava, a qual vinha tocando em minha mente desde que acordei, por razões desconhecidas. Ainda bem que era Song for You, de John Miles, e não a Eguinha Pocotó do MC Serginho, por exemplo. Enjoy, if you like good old music ;D